A histórica Quinta do Ataíde, com a sua casa senhorial do século XVIII, ocupa mais de 100 hectares de terra invulgarmente plana no vale da Vilariça. Inserida entre olivais e vinhas, esta propriedade remonta aos primórdios da agricultura na região.

Perto da Quinta do Ataíde, a falha geológica atinge maior extensão, formando o que se conhece como a bacia da Vilariça. Duas “paredes de granito” protegem um vale fértil e abençoado com um microclima de caraterísticas mediterrânicas. Quando comparado com as íngremes encostas da parte principal do vale do Douro, O vale da Vilariça é apenas suavemente ondulado. A separação das placas tectónicas da Península Ibérica há milhões de anos deu origem à formação de um lago no meio do vale, criando condições em que o granito e o xisto tradicional do vale do Douro são complementados por uma componente de solo superficial aluvial. Isto, por sua vez, criou condições únicas para a viticultura e um terroir específico impossível de encontrar noutras partes da região do Douro.

Além do tradicional xisto, é possível encontrar três tipos de solo distintos: solos franco-arenosos, solos franco-limosos e, em alguns lugares, solos franco-argilosos, com a sua caraterística propensão para a retenção de água. O pH do solo é quase neutro, em contraste com grande parte da região do Douro localizada a oeste da barragem da Valeira, onde os solos tendem a ser ligeiramente ácidos. Todos estes fatores dão origem aos sabores únicos e específicos dos vinhos do Ataíde.

Download Fichas Técnicas Ver Vídeo

Idade Legal